Série “Pensadores”: Anísio Teixeira, Por Ighor Branco.

Liberal e tido como o principal idealizador de grandes mudanças que marcaram a educação brasileira no século XX, Anísio Teixeira foi pioneiro ao pensar um modelo de escola que fosse pública em todos os níveis – com o objetivo final do acesso à educação amplo e gratuito.

Fortemente influenciado pelo educador John Dewey, Anísio juntou-se a outros educadores e fundou a Associação Brasileira de Educação, a chamada Educação Nova. O grupo tinha bandeira a defesa de um sistema de ensino que não perpetuasse privilégios, ao passo que auxiliasse a construção de uma sociedade em que a cidadania fosse para todos. Em síntese, o Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova era a favor de um ensino laico, gratuito, obrigatório e público.

Atuando segundo seus ideais, Anísio foi alvo, durante toda sua carreira, de perseguições políticas – vindo a ser encontrado morto após um desaparecimento misterioso, quando estava em campanha para postular uma vaga na Academia Brasileira de Letras.

EDUCAÇÃO VOLTADA À AÇÃO

Segundo o autor, as responsabilidades da escola teriam mudado ao longo do tempo, passando agora ao posto de educar em vez de instruir; formar homens livres em vez de homens dóceis; preparar para um futuro incerto em vez de transmitir um passado claro; e ensinar a viver com mais inteligência e tolerância.

Indo de encontro à lógica da simples memorização de conteúdo, Anísio considerava de suma importância a compreensão e a expressão daquilo que fora ensinado, tendo como último nível o aspecto prático do conhecimento.

Para o pensador, não se aprendem apenas ideias, mas também atitudes e senso crítico – desde que a escola disponha de condições para exercitá-los. Assim, uma criança só poderia exercitar virtudes em uma escola onde haja condições reais para desenvolver tais valores.

Por tudo isso, nesse novo modelo de escola, as matérias escolares deveriam ser trabalhadas dentro de uma atividade escolhida e projetada pelos estudantes, fornecendo a eles formas de desenvolver sua personalidade. Nesse molde, o estudo seria o esforço na resolução de um problema ou execução de um projeto, e o ensino teria o papel itinerante, ou seja, de guia.

PRECURSOR DO MODELO DEMOCRÁTICO E INTEGRAL

Para Anísio, a eficiência de uma escola pública estava diretamente ligada à sua capacidade de envolver o corpo constitutivo – ou seja, alunos e professores – num modelo integral. O escritor, durante suas experiências na área de políticas públicas, conseguiu implementar a Escola Parque fundada em 1950 em Salvador, que mais tarde inspiraria os Centros Integrados de Educação Pública (CIEPS) do Rio de Janeiro e as demais propostas de escolas de tempo integral que se sucederam.

Na sua visão, o modelo a ser seguido deveria ser descentralizado, com autonomia aos professores e gestores educacionais e incentivos à compreensão ampla dos alunos –identificando o caminho mais assertivo para o ensino do currículo comum.

Em outras palavras, a proposta de Anísio encontra, até hoje, vínculo aos projetos educacionais do liberalismo contemporâneo, sobretudo, pela compreensão de que uma educação centralizada em Brasília seria incapaz de garantir que todos sejam senhores de seu próprio destino. Ou seja, em um país com dimensões continentais, o melhor sistema é aquele que consegue alinhar os conhecimentos basilares da humanidade com as especificidades locais.

LEGADO

Anísio Teixeira foi um educador movido pelo forte desejo de garantir que o Brasil tivesse um sistema educacional público capaz de dar a todos os brasileiros a cidadania necessária para garantir que ninguém fosse vítima das circunstâncias.

O educador sabia que era uma luta difícil, ainda assim, em sintonia com todos os liberais brasileiros – mesmo entre os que buscam um modelo de educação que seja público, mas não necessariamente estatal.

Ainda há muito o que ser feito pelos liberais, o Brasil não conseguiu universalizar o acesso ao sistema de ensino para todos os jovens e a busca por educação integral tornou-se política de estado há pouco tempo.

Porém, o foco nesses objetivos deve ser feito considerando as lições do passado e, como sempre, fazendo justiça ao pioneirismo na busca por um país que dê aos moradores dos subúrbios um ensino tão bom quanto o dado aos moradores dos bairros da zona sul.

Ighor Branco, acadêmico de Ciência Política da UFPE. 

FONTE:

TEIXEIRA, Anísio. Educação é um Direito. Brasil: UFRJ (1 janeiro 1996); 1ª edição.

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: A educação como prática da liberdade. Brasil:

WMF Martins Fontes; 2ª edição (8 maio 2017)

O legado de Anísio Teixeira para a educação e o liberalismo brasileiro (eusoulivres.org)

Anísio Teixeira, o inventor da escola pública no Brasil (novaescola.org.br)

casaanisioteixeira.com.br