27/03/2019

Prioridades de Minas foram tema de encontro entre Rodrigo Pacheco e o governador Romeu Zema


As prioridades de Minas Gerais frente ao governo federal foram tema de encontro realizado nesta terça-feira (26/3) entre o líder do Democratas no Senado, Rodrigo Pacheco, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) e o senador Antônio Anastasia (PSDB). Pacheco recebeu Zema em seu gabinete no Senado quando discutiram temas, como o endividamento de Minas, a duplicação da BR 381 e a conclusão da barragem de Jequitaí. Conforme o líder do Democratas, a força da bancada mineira no Congresso irá repercutir em ações concretas para recuperação fiscal e desenvolvimento econômico do estado.

“O governador Romeu Zema veio para tratar dos assuntos de Minas Gerais, especialmente, àqueles mais relevantes, mais impactantes para a sociedade de Minas. Discutimos aqui as questões de Minas justamente para que nós, da bancada do Senado e da Câmara, possamos entender quais são as prioridades do estado em relação ao governo federal e possamos repercutir no âmbito do governo federal a força que nós temos da bancada, – 53 deputados federais e 3 senadores -, justamente para que as ações possam acontecer no estado”, pontuou Rodrigo Pacheco.

O governador de Minas expressou que mensalmente estará em Brasília em contato direto com os parlamentares: “vale lembrar que mensalmente estou aqui em Brasília na reunião governadores e sempre, já mencionei para os senadores, estarei aqui tanto para informá-los do que tem acontecido em Minas como para ser informado do que ocorre aqui em Brasília”, disse. Zema fez um relato da sua agenda da capital federal com audiências na Agência Nacional de Mineração (ANM) e com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, com quem discutiu a liberação de verbas federais para questões como a duplicação da BR 381 e a conclusão da barragem de Jequitaí, no norte do estado. “São investimentos federais que Minas, mais do que nunca, precisa neste momento porque estamos sendo fortemente afetados pela retração na área da mineração”, explicou Zema.

Sobre o tema da mineração, o governador fez um convite de evento que será promovido dia 17 de abril pelo governo, em que especialistas vão mostrar os mais modernos recursos tecnológicos para gestão segura de barragens. Já sobre a crise financeira do estado, o governador afirmou que além de ações de sua gestão, com corte de gastos, é necessária a aprovação, pela Assembleia Legislativa, do Plano de Recuperação Fiscal de Minas Gerais.

“A crise financeira estamos fazendo toda redução de despesas, de desperdício que é possível e que em breve isso vai gerar algum resultado. É imprescindível que a Assembleia venha a aprovar a adesão de Minas ao Plano de Recuperação Fiscal. As minhas medidas isoladamente sem aderir ao plano de recuperação fiscal não são suficientes para viabilizar o estado. Deixei claro para os senadores que temos essa batalha pela frente”, destacou o governador.

O senador Antônio Anastasia acrescentou que existe uma convergência entre a agenda do governo do estado e a bancada mineira que está focada em contribuir pela recuperação do estado. “Há uma forte convergência da agenda entre o governador do estado e a bancada federal quer do Senado quer da Câmara Federal. Os projetos elencados pelo govenador, projetos emblemáticos para Minas Gerais; a duplicação da BR 381, a questão da barragem e Jequitaí, a questão do metrô de Belo Horizonte. São projetos fundamentais para o desenvolvimento econômico de Minas Gerais”, enumerou Anastasia.