DEM apoia a Declaração de Ação Climática de Centro Direita

A Executiva Nacional do DEMOCRATAS, por meio o seu presidente nacional,  ACM Neto, manifestou a adesão do partido à Declaração...

A Executiva Nacional do DEMOCRATAS, por meio o seu presidente nacional,  ACM Neto, manifestou a adesão do partido à Declaração elaborada pela Conservative Environment Network, ligada ao Partido Conservador Britânico. A Declaração enfatiza a necessidade dos partidos de centro-direita do mundo unirem esforços e trabalharem juntos no combate às mudanças climáticas que vêm tendo efeitos dramáticos cada vez mais frequentes em todo o planeta.

Um dos trechos da Declaração toca diretamente neste ponto:
Sabemos que agindo coletivamente obteremos muito mais sucesso no combate à mudança climática, com velocidade e escala necessárias para isso. Temos o dever de agir urgentemente para reduzir as emissões de gases de efeito estufa na próxima década, para desbloquear o financiamento do clima para os países em desenvolvimento e para alcançar emissões globais líquidas zero até meados deste século. Devemos fazer isso de uma forma que impulsione o crescimento econômico e as oportunidades de emprego.

E acrescenta: Usaremos nosso poder político e influência para enfrentar este desafio e proteger e melhorar o meio ambiente e a economia agora e para o benefício daqueles que virão depois de nós.

A Declaração, agora subscrita também pelo DEM, será apresentada na a Conferencia das Nações Unidas sobre Mudança Climática que se realizará de 1 a 12 de novembro em Glasgow, Escócia.

 

Declaração de Ação Climática da Centro-Direita

Nosso compromisso como legisladores defensores do mercado livre de todo o mundo, de tomar medidas ousadas para combater as mudanças climáticas.

Todos nós dependemos do meio-ambiente, e o meio-ambiente depende de nós. Sem um clima estável, nossas economias sofrerão e a segurança global estará em risco. As atividades da humanidade estão gerando mudanças climáticas com consequências prejudiciais para os seres humanos e para o mundo natural. Ao reduzirmos, e em última instância, eliminarmos emissões líquidas de gases de efeito estufa, evitaremos maiores danos e construiremos um futuro mais limpo e próspero gerando empregos, maior segurança e um ambiente natural mais saudável.

Sabemos que agindo coletivamente obteremos muito mais sucesso no combate a mudança climática, com velocidade e escala necessárias para isso. Temos o dever de agir urgentemente para reduzir as emissões de gases de efeito estufa na próxima década, para desbloquear o financiamento do clima para os países em desenvolvimento e para alcançar emissões globais líquidas zero até meados deste século. Devemos fazer isso de uma forma que impulsione o crescimento econômico e as oportunidades de emprego em nossas próprias comunidades, criando prosperidade e reduzindo a pobreza em todo o mundo.

Não alcançaremos esses objetivos por meio de uma abordagem exclusivamente estatal. Precisamos aproveitar a experiência e a criatividade de empresas e empreendedores e mobilizá-los como nossos aliados nessa empreitada. Devemos liberar o poder dos mercados livres favoráveis ao clima, do financiamento privado e do livre comércio para reduzir os custos, estimular a inovação e criar incentivos para que empresas e indivíduos responsáveis adotem soluções tecnológicas e baseadas na natureza para as mudanças climáticas.

É dever de nossa geração fornecer essas soluções pragmáticas, mas ambiciosas, e trabalhar em conjunto para combater a ameaça da mudança climática em nossas comunidades locais, nossas nações e em todo o mundo. Usaremos nosso poder político e influência para enfrentar este desafio e proteger e melhorar o meio ambiente e a economia agora e para o benefício daqueles que virão depois de nós.